Celular +Seguro: Como proteger seu dinheiro no celular

Atualizado em 06/02/2024

A preocupação de proteger o dinheiro no celular tem aumentado. E não é por menos, o celular se tornou uma extensão da agência bancária contendo diversas informações sensíveis e financeiras. Para conseguir diminuir o prejuízo no caso de uma situação de furto ou roubo, confira 12 medidas de segurança financeira curadas por nossa equipe de especialistas e fortaleça a proteção do seu celular:

  1. Troque senhas fáceis (como 1234, 0000 ou 2468) ou datas de aniversário na senha/PIN de desbloqueio do seu celular.

    Criminosos podem tentar usar sequências numéricas ou repetições na tentativa de desbloquear seu telefone, ou até realizar uma busca rápida sobre você na internet para descobrir sua data de aniversário ou de alguém da sua família.
    • Dica básica: para proteger o dinheiro no celular não use números sequenciais, repetidos ou data.
    • Dica avançada: Se conseguir decorar, aumente a segurança da sua tela de bloqueio com uma senha/PIN de 6 dígitos.
      Aprenda a criar senhas fortes e seguras 🔐
  2. Ative o localizador do seu celular.

    Além de conseguir rastrear, o localizador do seu celular consegue bloquear e até apagar remotamente todos seus dados e apps, garantindo a segurança do seu dinheiro.
    • No Android: acesse ‘’Configurações’’ e procure a opção “Localização’’, selecione ‘’Google’’ e clique em “Encontre Meu Dispositivo”, ativando a funcionalidade. Quando precisar localizá-lo, entre em find my device.
    • No iPhone: acesse ‘’Ajustes’’, clique no seu nome e selecione ‘’Buscar”, deixando a opção ‘’Buscar iPhone’’ ativada. Quando precisar localizar seu dispositivo, basta acessar Find My Phone.
  3. Desative da tela bloqueada barras ou botões que permitam desativar sua internet ou localização.

    Com seu celular roubado em mãos, criminosos vão tentar desativar a internet e localização para que você não consiga rastrear o device ou deletar remotamente seus dados.
    • No Android: acesse ‘’Configurações’’, clique em ‘’Tela de Bloqueio’’, selecione ‘’Configurar minha tela de bloqueio’, confirme seu PIN de desbloqueio do celular e ative a opção “Bloquear rede e segurança” (essa funcionalidade não vai ocultar os botões na tela, mas vai solicitar senha quando alguém tentar alterá-los).
    • Nos modelos Moto G73 e Moto G53 da Motorola, o device já vem com a funcionalidade Moto Secure instalada. No entanto, os demais modelos não apresentam essa opção.
    • No iPhone: em ‘’Ajustes’’, desça até ‘’Face ID e Código’’ e vá até a seção ‘’Permitir acesso quando bloqueado’’. Desative as opções ‘’Central de controle’’ e ‘’Siri’’ (é importante desativar a Siri também porque você consegue desligar a internet e localização do celular “falando” com ela).
  4. Diminua o tempo de bloqueio da tela do celular para o menor tempo possível.

    Ao roubar um celular desbloqueado, os bandidos tentam manter sua tela ativa, porém se o seu tempo de bloqueio for curto, pode ser que seu celular volte a ficar com a tela bloqueada.
    • No Android/Samsung e Motorola: acesse ‘’Configurações’’, clique em ‘’Tela de Bloqueio’’, selecione ‘’Configurar minha tela de bloqueio’, confirme seu PIN de desbloqueio do celular, clique em “Bloquear automaticamente com tela desligada” e escolha o menor tempo de bloqueio possível (5s).
    • No Android/Xiaomi: Acesse as configurações do dispositivo e procure a opção “Tela de Bloqueio’’. Em ‘’Suspender’’, defina o menor tempo de bloqueio possível (15s).
    • No iPhone: Acesse ‘’Ajustes’’, selecione ‘’Tela e Brilho’’ e clique em ‘’Bloqueio automático’’ escolhendo o menor tempo possível (30s).
  5. Encerre (não apenas minimize) os apps de Banco depois de usá-los.

    Caso alguém consiga roubar seu celular desbloqueado logo após você usar um aplicativo de banco, pode ser ele esteja aberto em segundo plano e até acessível sem pedir senha novamente. Para proteger o dinheiro no celular siga os passos abaixo:
    • No Android: aperte no canto inferior esquerdo da sua tela (III) que irá exibir todos os apps abertos e arraste para cima para encerrar a navegação no banco.
    • No iPhone: com o dedo na parte inferior da sua tela, arraste para cima e segure por 1s para exibir todos os app abertos e arraste novamente para cima novamente para fechar.
  6. Delete senhas de banco e dados de cartões anotados no seu celular (em texto, foto ou salvo como contato).

    Bandidos tentam lucrar ao máximo ao roubar um celular e costumam buscar por senhas e número de cartões no WhatsApp, aplicativos de Email ou de Notas, seja em texto ou foto.
    • Dica: anote suas senhas em um lugar físico e protegido. Parece até uma dica da década de 90, mas ter suas senhas em um papel na sua pasta de documentos importantes em uma gaveta de casa é mais seguro do que andar com ela anotada no seu celular.
  7. Altere seu limite diário de transações via Pix (e TED).

    Algumas instituições financeiras precisam de um tempo para alterar o seu limite diário de Pix (geralmente 24h), o que pode garantir que mesmo sob coação você não consiga aumentar imediatamente o seu limite. Porém outras instituições aumentam ou diminuem o limite automaticamente, ou seja, essa dica não previne 100% mas ajuda a diminuir o tamanho do prejuízo em caso de sequestro.
    • Dica básica: defina um limite pensando no valor que você costuma fazer de Pix quando está fora de casa (a gente sabe, é muito ruim precisar fazer um Pix e não conseguir).
    • Dica avançada: diversas instituições financeiras têm Seguro Pix no caso de coação, caso tenha condições financeiras, faça um seguro no valor do limite definido.
      • Importante: como algumas pessoas têm mais de uma chave Pix e em diferentes Bancos, faça a alteração de limite em todos.
  8. Use o seu cartão de menor limite na carteira digital e nos aplicativos que você costuma deixar o cartão salvo.

    Momentos de coação física são críticos, por isso ter com você um cartão com limite menor não previne 100%, mas ajuda a diminuir o tamanho de um possível prejuízo.
    • Dica: alguns prejuízos acontecem em aplicativos onde você deixa seu cartão salvo, como o Mercado Livre ou iFood, procure deixar sempre salvo o cartão de menor limite e se possível um “cartão virtual recorrente” (assim você não precisa emitir um novo cartão físico caso precise cancelar este).
  9. Faça compras no seu celular apenas quando estiver usando a rede (3G/5G) do seu celular ou em wifis conhecidos com senha.

    Redes abertas ou públicas são mais vulneráveis e podem ser suscetíveis a roubo de dados por hackers. Para proteger o dinheiro no celular não use esses redes.
  10. Ative os alertas de compra por SMS/Notificação de todos os seus cartões de crédito.

    Caso alguém clone o seu cartão, você consegue solicitar o cancelamento do cartão mais rápido e miniza possíveis prejuízos. Esta funcionalidade também ajuda a identificar mais rápido o golpe da troca de cartão na maquininha.

Seja um guardião e compartilhe nosso protocolo no Whatsapp com quem você ama

Este protocolo ajudou? Então avalie com 5 estrelas:

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.7 / 5. Número de avaliações: 14

Nenhuma avaliação até agora! Seja o primeiro a avaliar este artigo.